28 de outubro de 2017

“É na arte bruta que a arte contemporânea vai buscar inspiração”

“Nós aqui vemos expresso os usos, os costumes, as tradições, as crenças, os medos da nossa nacionalidade, a ligação entre o sagrado e o profano, as festas, as romarias, a expressão popular é aquilo que mais nos enraíza a esta nossa terra e aquilo que eu vejo é que é nesta arte mais bruta, com menos filtros, que a arte contemporânea se hoje vem inspirar”.

É desta forma que Carlos Coelho, Presidente da Direção da Associação Portugal Genial, começa por abordar o tema que este mês destacamos na nossa habitual rubrica Portugal Genial. Falamos de um país de artistas escondidos, com um talento contemporâneo ligado às raízes da nacionalidade, e com um potencial de diferenciação ainda por explorar.

Veja a entrevista na íntegra ao especialista.

Avalie este artigo 1 estrela2 estrelas3 estrelas4 estrelas5 estrelas
3 votos
Loading ... Loading ...
Jornalista: Francisco Branco; Imagem: Bruno Tibério; Edição: Rui Rodrigues

Comentários (0)

Escreva o seu nome e email ou faça login com o Facebook para comentar.